Apresentação dos pesquisadores da Rede TP3

Bernardo Machado Gontijo

Formação: Biologia (Graduação) – PUC/MG, Geografia (Graduação) – UFMG, Estudos Latino-Americanos (Mestrado) – Vanderbilt Univ. (EUA), Desenvolvimento Sustentável (Doutorado) – CDS/UnB

Inserção Institucional: Professor Associado – Deptº Geografia / UFMG – Cursos de Graduação em Geografia e Turismo, Pós-Graduação em Geografia.

Temas prioritários de pesquisa: transformação espacial; proteção à biodiversidade; áreas protegidas / unidades de conservação; turismo e meio ambiente.

 

Lilia dos Santos Seabra

Formação: Doutorado em Geografia

Inserção Institucional: Professora Associada do Departamento de Geografia / UERJ/FEBF

Temas prioritários de pesquisa: Turismo, planejamento e gestão ambiental, história ambiental

 

Marcel Bursztyn

Formação: Economista, Mestre em Planejamento Urbano e Regional, Diploma em Estudos de Planejamento, Diploma em Desenvolvimento Econômico e Social, Doutor em Política e Programação do Desenvolvimento, Doutor em Economia

Inserção Institucional: professor titular junto ao Cento de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília

Temas prioritários de pesquisa: interdisciplinaridade, sustentabilidade, políticas públicas, mudanças climáticas.

 

Maria Goretti da Costa Tavares

Formação: Geógrafa

Inserção Institucional: Faculdade de Geografia e Cartografia, Universidade Federal do Pará.

Temas prioritários de pesquisa: Geografia da Amazônia, Políticas de Turismo, Turismo e Patrimônio.

 

Sébastien Jacquot 

Formação: Agrégé de géographie, élève de l’Ecole Normale Supérieure Ulm, Thèse en géographie (U. Angers).

Inserção Institucional: Université Paris 1 Panthéon Sorbonne

Temas prioritários de pesquisa: Patrimonialisation et patrimoine mondial, Patrimoine, tourisme et mondialisation, Politique(s) du tourisme en métropole et en périphéries, Oenotourisme, Digital studies : big data et tourisme, Géographies du politique, Informalité politique et espaces urbains.

 

Valéria Maria de Souza Lima

Formação: Doutoranda em Geografia (UERJ), Mestrado em Educação (PUC), Especialização em Administração Pública (UERJ), Especialização em Turismo (UCB), Especialização em Docência do Ensino Superior (ESPM), Administração (UFF)

Inserção Institucional: Secretaria de Estado de Turismo – SETUR / Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ – Departamento de Geografia

Temas prioritários de pesquisa: Turismo / Políticas Públicas

 

 

 

Apresentação dos pesquisadores da Rede TP3

Fábia Trentin

Formação: Doutora em Turismo, Laze e Cultura (Universidade de Coimbra) reconhecido no Brasil pelo Programa de Pós Graduação em Geografia (UFF), Mestre em Hosptialidade (UAM), Engenheira Agrônoma (UFMS).

Inserção Institucional: Pesquisadora e Professora Adjunta I do Departamento de Turismo da Universidade Federal Fluminense/RJ; Pesquisadora dos Grupos de Pesquisa certificados pelo CNPq: “TGTur – Turismo: Gestão e Territórios” (UFF); “Gestão de Territórios Criativos” (UFV) e “Grupo de Estudos e Pesquisa em Turismo” (UFMS).

Temas prioritários de pesquisa: Políticas Públicas de Turismo e Hospitalidade;  Governança e Redes de Atores; Inovação Social.

 

Henrique dos Santos Pereira

Formação: Agrônomo (UFAM-1985), MSc. Ecologia (INPA-1992), PhD. Ecologia (Penn State University, 1999)

Inserção Institucional: Professor Associado IV da Faculdade de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Amazonas (FCA/UFAM). Coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências do Ambiente (PPGCASA/UFAM). Professor permanente e membro da coordenação do Mestrado Profissional em Gestão de Áreas protegidas na Amazônia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (MPGAP – INPA). Professor permanente do Mestrado e doutorado em Agronomia Tropical (PPGATr/UFAM). Professor colaborador do Mestrado em Agricultura do Trópico Úmido do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (PPGATU/INPA); Professor Permanente do Mestrado Profissional em Rede Nacional em Ensino de Ciências Ambientais da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (ProfCiAmb/USP). Membro externo da Ecole Doctorale n°587 “Diversités, Santé et Développement en Amazonie” da Université de Guyane. Membro da direção da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade – ANPPAS – Gestão 2015-2017.

Temas prioritários de pesquisa: Gestão de Áreas Protegidas; Cogestão adaptativa de recursos de uso coletivo; Manejo de produtos florestais não madeireiros; Agricultura Familiar tradicional na Amazônia.

 

Lia Calabre

Formação: Doutora em história

Inserção Institucional: Pesquisadora Titular da Fundação Casa de Rui Barbosa, atual Presidente da instituição.

Temas prioritários de pesquisa: políticas culturais, políticas públicas, cultura

 

Marisa Egrejas

Formação: Doutorado em Engenharia de Produção (COPPE/UFRJ), Mestre em Educação (UERJ), Bacharel em Comunicação Visual (EBA/UFRJ), Licenciada em Educação Artística com habilitação em História da Arte.

Inserção Institucional: Professora Docente do Curso Técnico em Turismo do Colégio Estadual Antônio Prado Júnior (SEEDUC-RJ).

Temas prioritários de pesquisa: Formação profissional em turismo, Patrimônio, Cultura, Interpretação do Patrimônio e Criação de Roteiros em parceria com os habitantes de sítios de interesse turístico.

 

Revelin Florence

Formação : Dr. Anthropologie de l’environnement

Inserção Institucional: Muséum national d’histoire naturelle

Temas prioritários de pesquisa: Tourisme et Patrimoine mondial, Conservation de la nature, Paysages culturels, Europe

 

Rita de Cássia Ariza da Cruz

Formação: Geógrafa

Inserção Institucional: Docente do Depto. de Geografia da FLCH/USP. Vice-presidente da comissão de pós-graduação da FFLCH/USP. Coordenadora do programa de aperfeiçoamento do ensino-pae-capes, da FFLCH/USP. Coordenadora da coleção Geografia e adjacências da editora Annablume, juntamente com Manoel de Sousa Fernandes.

Roteirização dialogal: a construção de roteiros turísticos com a participação da comunidade local

Marisa Egrejas

Esta tese discute a construção de roteiros de visitação a sítios de interesse turístico realizada a partir do diálogo com a população local. Baseou-se em dois projetos (Projeto Palácios do Rio, realizado no Palácio, Fortaleza e Morro da Conceição, Zona Portuária do Rio de Janeiro, RJ, Brasil e Projeto Roteiros dos Fortes: circuito turísticos em fortes e fortalezas da Baía da Guanabara, realizada junto a seis Fortificações históricas da entrada da Baía da Guanabara, Rio de Janeiro, RJ, patrimoniadas pelo Exército Brasileiro), em que moradores, trabalhadores e frequentadores destes sítios cariocas tiveram oportunidade de deliberar sobre a circulação de visitantes nos seus espaços de pertencimento e participar na construção dos traçados. O estudo dispôs-se, ainda, a analisar a literatura dedicada ao tema e a legislação em vigência. Ao investigar este assunto, que tradicionalmente é visto pelo viés técnico e realizado em gabinete, tornou-se, também, um instrumento de mediação entre as esferas teórica e prática, promovendo a articulação entre os âmbitos acadêmico e técnico na área do turismo.

Tese completa: roteirizacao-dialogal-_m-egrejas

Apresentação dos pesquisadores da Rede TP3

Altair Sancho
Formação: Doutor em Geografia (UFMG), Mestre em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social (UFRJ) e Bacharel em Turismo (UFJF).
Inserção Institucional: Pesquisador e Professor Adjunto I do Departamento de Turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora/UFJF; Pesquisador do Grupo de Pesquisa CNPq “Grupo Integrado de Pesquisa do Espinhaço”. Coordenador: Prof. Dr. Bernardo Gontijo, a partir de novembro de 2010; Pesquisador do Grupo de Pesquisa CNPq “Áreas Protegidas e Inclusão Social”. Coordenador: Profª Drª. Marta de Azevedo Irving (EICOS/IP/UFRJ), a partir de setembro de 2008; Pesquisador do projeto “Observatório de Áreas Protegidas”, coordenado pela Profª Drª. Marta de Azevedo Irving (EICOS/IP/UFRJ), a partir de 2008.
Temas prioritários de pesquisa: Ordenamento Territorial, Governança e Unidades de Conservação; Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social; Geografia do Turismo; Paisagens Culturais; Políticas Públicas de Turismo; Epistemologia do Turismo.
Coordenação de projeto em andamento: Desenvolvimento de Indicadores para Avaliação de Impactos do Turismo em Parques.

Camila Gonçalves de Oliveira Rodrigues
Formação: Bacharel em Turismo, Mestre em Sociologia Rural, Doutora em Política e Gestão Ambiental
Inserção Institucional: Professora Adjunta IV do Departamento de Administração e Turismo e do Programa de Pós-Graduação em Prática de Desenvolvimento Sustentável da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Temas prioritários de pesquisa: Parcerias no âmbito do planejamento e da gestão de áreas protegidas, Análise dos efeitos socioeconômicos do turismo, Política e Gestão Ambiental.

Edilaine Albertino de Moraes
Formação: Bacharelado em Turismo pelo Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Juiz de Fora; Especialização em Gestão Pública e Sociedade pela Universidade Federal do Tocantins, direcionada para Políticas Públicas em Economia Solidária; Mestrado e Doutorado (em andamento) em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social pelo Programa EICOS, do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
 Inserção Institucional: Professora Assistente do Departamento de Turismo do Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal de Juiz de Fora.
Temas prioritários de pesquisa: Turismo, Desenvolvimento Local, Áreas Protegidas, Populações Tradicionais, Políticas Públicas e Redes, com ênfase no campo do Turismo de Base Comunitária.

Ivan Bursztyn
Formação: Designer, mestrado e doutorado em Engenharia de Produção.
Inserção Institucional: Professor do curso de gastronomia do Instituto de Nutrição Josué de Castro da Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Temas prioritários de pesquisa: Turismo de Base Comunitária, Cultura Alimentar, Novas Formas de Produção e Consumo, Design da Hospitalidade de Serviços.

Lionello F. Punzo
Formação: Doutorado em economia
Inserção Institucional: Dipartimento di Economia e Statistica, Universita di Siena, Italia
Temas prioritários de pesquisa: desenvolvimento sustentável, economia da cultura e dos bens culturais.

Marta de Azevedo Irving
Formação: BSc em Biologia (UFRJ) e em Psicologia (UERJ). MSc. Oceonografia Biológica (University of Southampton-UK). PhD. Ciências (USP).
Inserção Institucional: Programa de Pós-graduação EICOS em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social/IP/UFRJ e Programa de Pós-graduação em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento/IE/UFRJ; Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento/CNPq
Temas prioritários de pesquisa: a) A relação entre desenvolvimento, conservação da natureza e inclusão social; b) A dinâmica de planejamento turístico; c) Governança e políticas públicas de proteção da natureza, turismo e cultura; d) Sustentabilidade, consumo e marketing ambiental; e) Desenvolvimento local e turismo de base comunitário.

Publicação de membros da Rede TP3

Além de estimular a produção em rede, uma das proposta deste Caderno de Pesquisas é dar visibilidade às produções dos pesquisadores participantes da Rede TP3.

Abaixo, um artigo que discute patrimônio em Diamantina, Minas Gerais, publicado em um número especial da Revista Geográfica de América Central, em 2011, assinado por Mariana Lacerda e Altair Sancho, membros da Rede TP3, em colaboração com Rose Pena e José Antônio Deus.

Foto: Altair Sancho

 

Paisagem cultural em Diamantina/MG: um estudo sobre patrimônio e topofilia

Mariana Lacerda, Altair Sancho, Rose Pena e José Antônio Deus

O Barroco compreende amplo fenômeno associado à arte, à vida e à história dos séculos XVII e XVIII. No Brasil, mais especificamente no estado de Minas Gerais, o barroco assumiu características próprias, passando a constituir não somente um estilo artístico e arquitetônico, mas uma forma de enxergar e compreender o mundo, diretamente associado à origem da cultura mineira. Diamantina, cidade colonial mineira reúne significativo acervo histórico e cultural barroco, o que justificou seu reconhecimento, em 1999, como Patrimônio Mundial pela UNESCO. Inspirado nas reflexões sobre paisagem, patrimônio e identidade, este trabalho visa investigar o sentimento da população local em relação ao patrimônio da cidade de Diamantina. Para cumprir tal objetivo, foi realizada pesquisa teórica sobre barroco, paisagem, mineiridade, topofilia e topofobia e, pesquisa empírica, através de entrevistas semi-estruturadas com 40 moradores de diferentes regiões da cidade. De maneira geral, a população manifesta sentimento topofílico em relação à cidade, mas demonstra certo distanciamento em relação ao patrimônio. Apesar de reconhecerem sua importância, os entrevistados expressam ressentimento em relação à valorização do centro histórico para o uso turístico em detrimento a iniciativas que aproximem o patrimônio da população, estimulando sua capacidade em valorizá-lo.

Para ler o artigo na íntegra, clique aqui.

Apresentação dos pesquisadores da Rede TP3

Guilherme Borges da Costa
Formação: Doutor em Psicologia pela Université de Caen Normandie, França. Mestre em Mudança Social e Participação Política, pela USP. Graduação em Comunicação – Jornalismo, Universidade Estadual de Londrina.
Inserção Institucional: Pós-doutorado em andamento no Programa Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social (EICOS/ UFRJ). Pesquisador do Grupo de Pesquisa “Governança, Biodiversidade, Áreas Protegidas e Inclusão Social” (GAPIS/UFRJ).
Temas prioritários de pesquisa: comunicação e comunidades, gestão participativa de unidades de conservação.

Lucio R. Malizia
Formação: Lic. en Ciencias Biológicas (Universidad Nacional de Tucumán), Dr. en Ecología, Evolución y Sistemática (University of Missouri-St. Louis).
Inserção Institucional: Centro de Estudios Territoriales Ambientales y Sociales (CETAS), Facultad de Ciencias Agrarias, Universidad Nacional de Jujuy, Argentina.
Temas prioritários de pesquisa: Ecología forestal, gestión ambiental, áreas protegidas, ordenamiento territorial, ecología del paisaje, conservación de la biodiversidad.

Luís Tadeu Assad
Formação: Engenheiro de Pesca M.Sc. (UFC), Doutor em Desenvolvimento Sustentável, Posdoc em Análise e Gestão de Conflitos Socioambientais (CDS/UnB) e Pos-doutorando em Turismo Cultural (UB).
Inserção Institucional: Diretor Presidente do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS), Pesquisador Associado e membro do colegiado do Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais – MESPT (CDS/UnB); Pesquisador Associado do Centro de Inovação para o Desenvolvimento Humano da Universidade Politécnica de Madri (itd/UPM)
Temas prioritários de pesquisa: Dialogo Social e Gestão de Conflitos Socioambientais; Inserção socioprodutiva e negócios sociais; Desenvolvimento Local; e Inovação social.

Maria Gravari-Barbas
Formação: Architecte (Ecole d’Architecture, Université Technique d’Athènes) et Géographe (Université Paris 4 Sorbonne).
Inserção Institucional: Institut de Recherche et d’Etudes Supérieures du Tourisme (IREST) et Chaire UNESCO « Culture, Tourisme, Patrimoine », Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne.
Temas prioritários de pesquisa: De façon générale, je m’intéresse à la façon dont les sociétés contemporaines, notamment occidentales, réinvestissent leurs milieux (en particulier urbains) dans le contexte de l’hypermodernité et du capitalisme tardif : *dynamiques touristiques et transformations urbaines ; *architecture iconique ; *gentrification urbaine et tourisme ; *esthétisation et artialisation urbaine urbaine ; *dynamiques de patrimonialisation et tranformations urbaines *dynamiques touristiques.
En dehors des contextes urbains, je l’intéresse plus généralement aux dynamiques du patrimoine mondial autour du concept de la « patrimondialisation ». Je porte un intérêt particulier aux paysages de la vigne et du vin inscrits à la liste du patrimoine mondial de l’UNESCO.

Maria Tereza Duarte Paes
Formação: Geógrafa (UNESP/Rio Claro, SP), Mestre em Sociologia e Doutora em Ciências Sociais (UNICAMP) e Pós-Doutorado em Geografia (IRSAM/Université de Pau et des Pays de L’Adour, France)
Inserção Institucional: Professora do Departamento de Geografia (DGEO), Instituto de Geociências (IG) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Temas prioritários de pesquisa: Patrimônio Cultural, particularmente pesquisas relacionadas aos processos de renovação e preservação de sítios históricos urbanos e aos patrimônios naturais (UCs ou Patrimônios Mundiais); Meio Ambiente Urbano, com enfoque nos processos de renovação urbana e preservação do patrimônio arquitetônico; e Metodologia em Geografia, área disciplinar prioritária na pesquisa sobre métodos, teorias e conceitos.

Lugares e fluxos do turismo nacional brasileiro

Hervé Théry

O Brasil não é um importante destino turístico internacional, com menos de 6 milhões de turistas por ano. Em contrapartida o turismo nacional é muito ativo, 59 milhões de turistas e 190 milhões de viagens, graças a um mercado nacional de 200 milhões de habitantes, aos progressos do padrão de vida e ao consequente aumento dos gastos para turismo nas últimas décadas. Isso ajudou a construir um setor de turismo poderoso e bem estruturado, que pode ser analisado precisamente através de publicações oficiais, disponíveis on-line. Eles contêm números abundantes e que permitem desenhar mapas que ajudam a localizar os pontos fortes e os fluxos induzidos.

O artigo completo está disponível em: http://viatourismreview.com/pt/2015/09/art1/.

Abaixo, o comentário de alguns mapas disponíveis no texto.

Lugares sonhados e visitados por fonte de renda.

Fonte: Hervé Théry

O Estados brasileiros mais desenvolvidos também são os mais importantes centros de recepção e de emissões de turistas. Em número de turistas cinco dos 27 Estados – São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Bahia – concentram mais de 50% dos fluxos turísticos do país e quase 50% das estadias. Se somarmos os estados do Paraná, Pernambuco, Santa Catarina e Goiás, chegamos a cerca de 70% dos turistas e fluxos. Os Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, os mais populosos do país, são essencialmente emissores, enquanto Santa Catarina, Ceará, Bahia e Goiás, menores em termos absolutos, são principalmente receptores.

Em termos de lugares sonhados (aqueles que os turistas gostariam de conhecer), os dois destinos mais populares estão localizados na região Nordeste, a ilha de Fernando de Noronha e Fortaleza. Além destes, sete outras cidades da região (Salvador, Natal, Recife, Porto Seguro, Ipojuca, Maceió e São Luís) estão entre as vinte cidades citadas como as mais desejadas, cinco no Sul (Gramado, Florianópolis, Foz do Iguaçu, Curitiba e Porto Alegre), três no Sudeste (Rio de Janeiro, São Paulo e Aparecida), duas no Centro-Oeste (Bonito e Brasília) e uma do Norte (Manaus). Fora das capitais dos Estados são resorts (Porto Seguro, Ipojuca), lugares notáveis por seus atrativos naturais (clima – relativamente – frio em Gramado, cataratas em Foz do Iguaçu e águas cristalinas de Bonito) e ainda o culturais (basílica de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil).

Os lugares realmente visitados não coincidem completamente com aqueles sonhados pelos entrevistados, em sua maioria localizados em regiões “exóticas” para a maioria da população brasileira (Amazônia, Sul e Nordeste). Na realidade, os mais pobres frequentam principalmente a sua própria região, acessível de carro e onde eles podem ficar com parentes ou amigos. Os destinos mais populares estão localizados perto do local de residência, e cerca de 70% dos fluxos ocorrem na região de residência. Portanto, as principais capitais brasileiras aparecem no topo da lista, notadamente as grandes cidades costeiras onde a atratividade e amenidades da cidade coincidem.

Fluxos do turismo nacional em 2012

Fonte: Hervé Théry

 

Vistos globalmente, os fluxos de turismo no Brasil, em 2012, estão concentrados principalmente ao longo de um eixo paralelo à costa, uma vez que 80% da população vive a menos de 200 km do mesmo, com incursões menores para o Centro-Oeste e a Amazônia.

Apresentação dos pesquisadores da Rede TP3

Atualmente a Rede TP3 reúne mais de 50 pesquisadores e profissionais ligados aos setores do turismo, patrimônio e políticas públicas. A partir desta semana, publicaremos o perfil de seus participantes. Como a lista é longa, faremos a apresentação em etapas.

Cristiane Barroncas Maciel Costa Novo
Formação: Bacharel em Administração e em Turismo.
Inserção Institucional:  Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
Temas prioritários de pesquisa: desenvolvimento local e turismo, turismo comunitário, planejamento participativo e produção científica do turismo.
Pesquisa em andamento: “A produção acadêmica sobre o turismo nas universidades públicas da região norte”.

Eric Glon
Formação: Géographe- Docteur en géographie- Agrégé de géographie. Habilité à diriger des recherches
Inserção Institucional: Professeur des Universités à l’Université de Lille
Temas prioritários de pesquisa: Eric GLON est géographe, Professeur à l’université de Lille. Ses recherches portent sur la valorisation/protection des ressources et de la nature ainsi que les processus participatifs impliquant les populations locales et autochtones dans les projets au sein des territoires. Si Eric Glon s’intéresse également aux inégalités sociales et culturelles dans l’accès aux territoires et aux ressources, une partie de ses réflexions concernent les cartographies participatives et autochtones.

Érika Fernandes-Pinto
Formação: Bacharel em Ciências Biológicas pela UFPR, Mestre em Ecologia pela UFSCar e Doutoranda em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social (Programa EICOS – UFRJ).
Inserção institucional: analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/MMA), pesquisadora do GAPIS/UFRJ Grupo de Pesquisa em Governança, Biodiversidade, Áreas Protegidas e Inclusão Social e doutoranda Programa EICOS UFRJ.
Temas prioritários de pesquisa: sítios naturais sagrados, valores culturais e espirituais, áreas protegidas, etnoecologia, ecoturismo de base comunitária, conhecimento tradicional, gestão participativa, sobreposições territoriais.
Pesquisas e atividades em andamento: projeto Sítios Naturais Sagrados do Brasil.
Este projeto se iniciou com minha pesquisa de tese de doutorado, que está sendo desenvolvida no âmbito do Programa EICOS de Pós-Graduação em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IP/UFRJ), sob orientação da Profa. Dra. Marta de Azevedo Irving. Mas a intenção desse trabalho é mais ampla e visa principalmente trazer à tona uma temática ainda pouco debatida no Brasil, mas que é muito abrangente e que tem inúmeras implicações nas práticas de gestão socioambiental e nos debates sobre políticas públicas. Na busca de dar visibilidade ao tema, aprofundar a discussão e agregar contribuições, temos preparado textos e outros materiais para publicações e para disponibilizar em mídias sociais e formamos a REDE SNS Brasil, para articular pessoas interessadas no tema
Uma primeira publicação sobre o assunto está disponível para download na plataforma Academia.edu em <https://www.academia.edu/18125465/Sítios_Naturais_Sagrados_no_Brasil_o_gigante_desconhecido>
e na página do facebook <https://www.facebook.com/sitiosnaturaissagrados/> são compartilhadas notícias, vídeos e outras informações sobre o tema.
E, em breve, fotos e comentários sobre os sítios naturais sagrados do Brasil serão compartilhados no Pinterest e a bibliografia sobre o assunto será disponibilizada no Mendeley.
Contato e outras informações: snsbrasil@gmail.com

Francesca Cominelli
Formação acadêmica: M1 et M2 Economie du patrimoine et des activités culturelles, PhD en Economie du patrimoine culturel immatériel
Inserção Institucional : IREST – EIREST Université Paris 1 Panthéon Sorbonne
Temas prioritários de pesquisa : ma recherche porte sur l’économie et la sauvegarde du patrimoine culturel immatériel et approfondit les relations entre patrimoine culturel, tourisme, biens communs, développement durable, écosystèmes patrimoniaux, innovation et diversité culturelle.

Joana Santos
Formação: Mestranda em Psicossociologia de Comunidades e Ecologia Social – Programa EICOS (UFRJ). Graduada em Licenciatura em Turismo pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.
Inserção Institucional: Pesquisadora do grupo de pesquisa Governança, Biodiversidade, Áreas Protegidas e Inclusão Social – GAPIS (UFRJ). O GAPIS é vinculado ao Programa Eicos/IP/UFRJ e ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Políticas Públicas e Estratégias de Desenvolvimento (INCT). Atualmente é bolsista da Fundação CECIERJ/Consórcio CEDERJ, atuando como Tutora Presencial na disciplina Transportes Turísticos I do curso de Graduação em Tecnologia em Gestão de Turismo (CEFET/RJ).
Temas prioritários de pesquisa: Turismo em áreas protegidas, uso público em Unidades de Conservação, ecoturismo, educação ambiental, turismo de base comunitária e turismo e inclusão social.
Outras informações:
http://www.uff.br/var/www/htdocs/usopublico/images/Artigos/2015/art18_2015.pdf
https://drive.google.com/file/d/0B-XOBN1mjLrWdXp2eUxUQWpiTEE/view
http://eventos.ufrrj.br/raic/files/2016/06/2307-9133-1-SM.pdf

Patrícia Reis Pereira
Formação: Bióloga, especialista em Administração e Manejo de Unidades de Conservação, Mestre em Geografia (PUC – MG).
Inserção Institucional: Coordenadora do Núcleo de Meio Ambiente e Áreas Protegidas do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS), membro do Grupo Assessor do PAN Cavernas do São Francisco, desenvolvimento e coordenação de projetos socioambientais, e coordenadora dos projetos junto ao Ministério Público de Minas Gerais.
Temas prioritários de pesquisa: Áreas Protegidas; planejamento territorial em bases conservacionistas; desenvolvimento território tendo como pilares natureza, cultura e turismo.

Apresentação

Logo Cor Tp3

Seja bem-vindo/a ao Caderno de Pesquisa da Rede franco-brasileira de Turismo, Patrimônio e Políticas Públicas (Rede TP3).

Esta rede reúne cerca de 50 pesquisadores e profissionais e é resultado do workshop “Turismo, Natureza e Cultura – Diálogos Interdisciplinares e Políticas Públicas”, promovido no Rio de Janeiro, no final do mês de maio.

Como um veículo da Rede TP3, aqui neste caderno serão divulgados semanalmente textos sobre os pesquisadores e grupos de pesquisa, documentos da Rede, materiais de pesquisa e comentários sobre artigos publicados, além de resenhas e notícias relevantes sobre turismo, patrimônio e políticas públicas.

Rede Tp3 - colagem pesquisadores
Pesquisadores da Rede TP3 no Workshop “Turismo, Natureza e Cultura – Diálogos Interdisciplinares e Políticas Públicas”. Fotos: Equipe GAPIS/UFRJ

Para iniciar as atividades do caderno, publicaremos o perfil dos pesquisadores da Rede TP3, além de comentários sobre os mapas publicados na revista Vi@, por Hervé Théry no artigo “Lugares e fluxos do turismo nacional brasileiro” e disponível em http://viatourismreview.com/pt/2015/09/art1/.

Todos os participantes da Rede são convidados a enviar materiais e sugerir textos e abordagens. A interatividade é importante para que a rede se consolide. Nosso e-mail de contato é redetp3@gmail.com.

Boa leitura!

Rede franco-brasileira de Turismo, Patrimônio e Políticas Públicas